Área Restrita

Fetagro

FETAGRO COBRA MEDIDAS PARA SUPERAR A CRISE DO LEITE

24/05/2020
Notícias
0 ComentáriosImprimirEmail

A Fetagro quer dialogar com vocês sobre a importância da nossa produção agropecuária e principalmente a nossa cadeia produtiva do leite, que no momento se encontra em decadência deixando os nossos produtores à deriva, devido a política comercial adotada pelas industrias estabelecidas no Estado de Rondônia, e do quanto esta linha de produção é economicamente e socialmente essencial, para quem produz, e também para quem se alimenta diariamente dos seus derivados.

 

Somos o maior produtor desta matéria prima na região norte e o oitavo no ranking brasileiro, com uma produção média estimada de 2,5 milhões de litros dia. Nosso leite produzido, em sua grande maioria, em pequenas áreas rurais, por agricultores e agricultoras familiares, mesmo com todas as dificuldades tem gerado emprego e renda, contribuindo para que as famílias consigam ter qualidade de vida morando em suas propriedades rurais.

 

Este sistema de produção existe e é muito forte na economia local com a geração de muitos empregos também no setor urbano. Mas, pelos impasses causados pela desvalorização da cadeia produtiva, que a cada ano, principalmente neste período, os produtores vem sendo prejudicados, pelo baixo preço praticado pelas indústrias ao litro de leite in natura nas unidades produtivas, estamos acompanhando uma onda de descontentamento muito forte por parte dos produtores e produtoras, que estão com disposição em radicalizar e deixar de ordenhar suas vacas, em consequência disso não entregar o seu leite aos industriais. Esta é uma proposta que não se deve ser descartada, assim como muitas outras que já surgiram ao longo de vários debates que a Fetagro vem fazendo juntamente com os sindicatos dos (as) trabalhadores (as) rurais, bem como as cooperativas parceiras na busca de soluções que viabilizem uma saída plausível, justa e harmoniosa entre produtores, Produtoras e laticínios.

 

É bom sempre lembrar que a Fetagro e os Sindicatos a ela filiados tem feito vários debates com o sindicato das industrias, na busca de solução da crise provocada pelos baixos preços praticados ao produto e as péssimas condições de tratamento dada aos produtores e produtoras de leite. Diante das conversas feitas em várias reuniões é possível verificar que as indústrias que trabalham com queijo mussarela e leite UHT estão com os estoques cheios neste momento.

 

A Fetagro entende que o momento que estamos vivendo reforça a necessidade de  maior prioridade nos encaminhamentos das pautas levantadas junto aos produtores e produtoras de leite do Estado e que já foram apresentadas pela Fetagro aos órgãos competentes desde a audiência  pública realizada no  ano passado pela Assembleia Legislativa do Estado onde já pautávamos com o governo, a necessidade de tomadas de medidas de salvaguardas da produção interna de leite no estado, e que só agora o governo se deu conta o quanto tem sido impactante para o setor produtivo do estado, a entrada de produtos lácteos de outras Unidades da Federação, estes produtos entram sem taxação e com valores abaixo dos praticados pelas indústrias no mercado local, esta disputa comercial tem prejudicado cotidianamente toda a cadeia produtiva do leite no Estado de Rondônia. 

 

Entendemos que uma paralização no fornecimento do leite por parte dos produtores e produtoras neste momento atual não surtirá grande efeito na balança comercial tendo em vista as condições que os relatos nos mostra que temos uma grande oferta de produtos e uma baixa atração de consumo. Estamos vivendo em Rondônia um momento de grandes desafios, pois em meio a tudo isso, estamos vivendo uma crise pandêmica provocada pelo COVID-19. Portanto, agora será muito importante a união entre os rondonienses para que possamos vencê-la e também auxiliar no giro da nossa economia.

 

Em meio a tantas as lutas, audiências públicas, reuniões, debates acirrados, etc.., a Fetagro juntamente com os seus Sindicatos tem conquistado alguns êxitos, tanto emergências, quanto a médio e longo prazo. Destacamos as seguintes conquistas:

- Criação do PAA Leite junto ao CONDALRON; neste momento está em fase de elaboração do Edital de chamamento público;

- Criação da Lei 4.777/20 Autoriza uso do fundo PROLEITE na compra dom leite da Agricultura Familiar que tem produção de até 100 litros dia, e será destinado as famílias que estão em situação de vulnerabilidade social;

- Está em debate uma proposta de repasse de subsidio no valor de 10 centavos por litros de leite diretamente para o produtor através do fundo do Pro-Leite;

- Está em andamento na SEFIN uma proposta de decreto de Taxação dos produtos oriundos de outras Unidades da Federação, Para valorizar as empresas do estado;

- Garantia de renovação do convênio com o CONSELEITE para fazer os estudos da cadeia produtiva e garantia do preço mínimo no litro de leite;

- Criação de campanha Estadual que estimule a população a consumir os produtos láteos do nosso estado;

- Estamos trabalhando uma proposta de desburocratização para acessar os recursos do BANCO DO POVO;

 

Algumas questões ainda precisam ser construídas junto ao poder público e as indústrias. Para valorizarmos a nossa produção e evitarmos uma crise maior no setor produtivo propomos:

- Organizarmos em cooperativas de produtores e consumidores,

- Criarmos nossas próprias agroindústria de processamento de leite

- Participarmos das compras institucionais de alimentação promovidas pelos órgãos públicos

- Participarmos das chamadas públicas dos PAAs Estadual e Federal

- Exigir do Governo uma campanha institucional pela valorização das nossas marcas e pelo consumo dos derivados do leite de Rondônia;

- Exigir dos órgãos de fiscalização que faça com que o comércio varejista não abuse dos direitos dos consumidores, na prática de preços abusivos;

- Exigirmos do governo do estado medidas efetivas capazes de garantir maior monitoramento e valorização da cadeia produtiva do leite;

- Exigir do Governo a aplicação dos recursos do fundo PROLEITE diretamente nas unidades produtivas da cadeia do leite;

 

Acreditamos que as medidas já tomadas e as propostas encaminhadas pela Fetagro possam proteger a cadeia produtiva neste momento de crise e fortalecer ainda mais a produção leiteira, a industrialização e a comercialização dos derivados do leite. Porém, o governo do Estado precisa ter agilidade e eficiência para fazer chegar aos produtores rurais estas medidas. Juntos vamos organizar e defender os produtores e as produtoras de leite da agricultura familiar.

 

A DIREÇÃO

Comentários

CAPTCHA Image
Recarregar Imagem

Veja Também

Imagem Indisponível
30/07/2014

Regional Cone Sul promove formação sindical

Iniciou ontem (29), na sede do Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR) de Cerejeiras, o primeiro módulo do curso de formação político sindical da Escola Nacional de Formação da CONTAG (ENFOC), para dirigentes e representantes de base sindical do Regional Cone Sul. O curso será ministrado em 3 módulos, com 3 dias cada, com objetivo de capacitar cerca de 40 lideranças sindicais do Movimento Sindical dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR), proporcionando a cada participante uma visão ampla sobre as principais bandeiras de luta do Movimento, ampliando o conhecimento e revitalizando o comprometimento dos mesmos com o MSTTR, a partir da base. Propõe-se, ao...

Imagem Indisponível
11/07/2014

STTR de Theobroma promove curso de derivados do leite

O Sindicato dos Trabalhadores (as) Rurais do município de Theobroma, em parceria com a Emater Theobroma, realizou de 07 a 11 de julho um curso de derivados do leite, para trabalhadoras(es) rurais do Assentamento Primavera. O curso teve o objetivo de capacitar as trabalhadoras(es) para que elas possam produzir diversos alimentos à base do leite para subsistência familiar e comercialização e, assim, contribuírem na complementação da renda familiar. O curso foi ministrado por uma extensionista da Emater do município de Alvorada do Oeste, que ensinou as participantes a produzirem diversos tipos de queijos e doces. Fonte: Assessoria STTR de Theobroma

Conferência Estadual debate assistência técnica com foco em agroecologia
11/04/2016

Conferência Estadual debate assistência técnica com foco em agroecologia

Estabelecer estratégias e ações prioritárias para promover a universalização da Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) pública e de qualidade aos agricultores e agricultoras familiares do Estado de Rondônia. Esse é o objetivo da 2ª Conferência Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural na Agricultura Familiar e Reforma Agrária, que acontecerá de 12 a 14 de abril, no Centro de Treinamento da Emater-RO (Centrer), em Ouro Preto do Oeste.    Cerca de 200 pessoas, representantes de agricultores, povos indígenas, comunidades tradicionais...