Área Restrita
fabricia silva lopes
Não à reforma da previdência
Imagem2
Imagem 1
Imagem3
Unicafes realiza hoje o Webinar PNAE no Norte
23/06/2021

Unicafes realiza hoje o Webinar PNAE no Norte

A Unicafes Nacional, com o apoio de demais organizações, realiza nesta quarta-feira, 23, às 15h (horário de Brasília), o Webinar PNAE no Norte – Juntos na construção e retomada do PNAE nas diversas regiões do Brasil. O objetivo é fomentar trocas de experiências e construir propostas para fortalecer e efetivar as compras do PNAE em todas as regiões e municípios dos Estados. O encontro será transmitido pelo Youtube da Unicafes Nacional, neste link: https://youtu.be/kHryHBi3JUE

Nota pública da FETAGRO a respeito da aprovação da Resolução Junho/2021 do CONSELEITE/RO
12/06/2021

Nota pública da FETAGRO a respeito da aprovação da Resolução Junho/2021 do CONSELEITE/RO

A direção da Federação dos trabalhadores Rurais agricultores e agricultoras familiares – FETAGRO vem a público manifestar repudio as manifestações equivocadas, depreciosas e desconectadas da verdade acerca da votação dos representantes da FETAGRO que aprovaram a resolução junho/2021 que dispõe sobre os valores referência da matéria prima leite do mês de junho de 2021 do Conselho Paritário de Produtores e Industriais de Leite do Estado de Rondônia – CONSELEITE/RO. A FETAGRO há 28 anos atua com lisura e firmeza da defesa dos agricultores familiares do Estado de Rondônia, em especial ao membros cadeia produtiva do leite. Reforçamos aqui nosso compromisso político em defesa dos interesses destes produtores, afinal este é nosso dever de representação dos mais de 150 mil filiados que temos por meio dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais filiados a FETAGRO Em relação as manifestações nas redes sociais e em nota veiculada pela imprensa, nos surpreendeu ver as afirmações de que a FETAGRO teria votado contra os interesses dos produtores de leite na última reunião do Conseleite, que ocorreu no dia 07/06/21, divulgando o Valor de Referência para a Matéria Prima Leite, sendo: Diante disto, queremos aqui esclarecer como se dá o funcionamento do CONSELEITE, bem como o processo de aprovação das resoluções e demonstrar os equívocos e distorções que ocorreram acerca do nosso posicionamento. DA NECESSIDADE DE ATUALIZAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO A todos os que assistiram a reunião da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa de Rondônia, no dia 19/04/21, que tratou da problemática ora enfrentada pelos produtores na crise do leite, puderam ver a manifestação da presidente da Fetagro, Alessandra Lunas, cobrando a reformulação do custo de produção, inclusive o quão duramente foi repreendida pelo presidente do Sindicato das Industrias de Laticínios no Estado de Rondônia – Sindileite/RO, que na ocasião discordou da sua manifestação. A cobrança incisiva pela Fetagro para que na reunião do Conseleite fosse realizada o debate da necessidade de atualização dos custos de produção, visto a urgência e a necessidade que vive a cadeia produtiva do leite. Iniciando o trabalho de atualização dos custos de produção pela Câmara Técnica do Conseleite que ocorreu no dia 07 de maio de 2021, assim que as planilhas para o levantamento foram disponibilizadas, fizemos nosso papel e colocamos nossos sindicatos em campo e conseguimos apresentar a câmara técnica dados demonstrativos de 17 sindicatos, correspondendo a 19 municípios pesquisados, com significativa representatividade das diversas regiões do estado. A câmara técnica se reunirá no dia 15/06/21 para discutir os dados levantados e dar sequência no trabalho de levantamentos dos custos, que não se encerrará nesta data, visto que os dados zootécnicos não foram analisados. Faz-se necessário informar que os levantamentos dos custos das industrias também será realizado, visto que os descontroles nos preços afetou a toda a sociedade e, consequentemente, aos laticínios. Vale destacar que o Conseleite disponibilizará uma planilha para que o produtor possa calcular individualmente os custos de sua produção leiteira, o que tratará mais transparência para a negociação entre os produtores e os laticínios. Por fim, o trabalho da Câmara técnica está em andamento. Por parte da FETAGRO, tem sido feito com muita responsabilidade, transferência e compromisso para assegurar que os dados reflitam de fato a realidade dos produtores de leite do Estado de Rondônia. DO VOTO DOS REPRESENTANTES DA FETAGRO NO CONSELEITE Quanto a aprovação da Resolução junho/2021, na reunião Conseleite/RO realizada no dia 07/06/2021, os nossos representantes votaram pela aprovação do valor de referência da matéria prima leite apresentados pela Universidade Federal do Paraná, como sempre ocorre, visto que os dados apresentados gozam da rigor técnico e do pleno conhecimento dos conselheiros, bem como da câmara técnica. O fato de não ser possível concluir a atualização dos valores, não haver tempo hábil para atualizar o custo de produção e a necessidade do conselho divulgar os valores de referência para auxiliar na negociação entre produtores e laticínios foi o que motivou os representantes da FETAGRO a aprovarem a referida resolução, garantindo assim a continuidade do Conseleite. Neste sentido, faz-se necessário enfatizar que os Conselheiros representantes da FETAGRO, ao concordar com a resolução apresentada não votaram contra os interesses dos produtores, como vem sendo falsamente afirmado; até mesmo por que gerará muito mais prejuízos não divulgar os valores de referência, pois os agricultores não teriam parâmetros para negociar a sua produção. Outra questão importante é que a não aprovação da referida resolução causaria prejuízos legais a Universidade Federal do Paraná que tem convenio firmado com a SEAGRI para a divulgação mensal da resoluções com os valores de referência. Vale salientar que ao votar pela resolução, os conselheiros que representam a FETAGRO concordaram com os valores apresentados até que a revisão dos custos seja concluída, e que possa representar de forma mais assertiva a realidade dos custos de cada propriedade. Portanto, compreendemos os desafios desta revisão e estamos trabalhando para que os resultados de fato possam demonstrar a real situação ora enfrentada pelos produtores, cumprindo com nosso papel no sentido de contribuir no levantamento dos dados. A nossa atuação tem trazido vitorias importantes, como a exigência de que os laticínios informem no rodapé da nota fiscal, até o dia 10 de cada mês, o valor a ser pago no mês seguinte. Não divulgar os valores de referência implicaria causaria sérios problemas, possibilitando que os laticínios informem valores aleatórios em função da ausência de parâmetros técnicos. Quanto ao resultado da análise deste mês (Maior Valor de Referência: 1.67; Valor de Ref. Leite Padrão:1,45; e Menor Valor de Referência: 1,32) demonstra uma melhora no preço em relação aos meses anteriores, e assim esperamos que o mercado continue reagindo positivamente. Até lá, seguimos lutando para que políticas mais justas possam ser implementadas em prol da cadeia de leite em Rondônia e também no país. Contudo, alguns setores tem atuado para impedir o funcionamento do Conseleite como forma de desestruturar os passos que tem sido dados para trazer transparência em relação aos custos de produção e a capacidade de pagamento das industrias. Sem o Conseleite, fica mais fácil manipular os preços, prejudicando de maneira mais aguda os produtores que estão nas regiões mais distante e que tem volumes menores de produção, recebendo preços muito desiguais em relação aos demais produtores. Lamentamos a desinformação e reafirmamos nossa luta e trabalho em defesa dos interesses daqueles que, cotidianamente, se dedicam com seu suor para ganhar seu sustento. Para maiores esclarecimentos realizaremos uma Live, detalhando o funcionamento do Conseleite e socializando como está o andamento dos trabalhos da câmara técnica, afim de manter a nossa categoria informada quanto ao funcionamento do Conseleite e os trabalhos para a atualização dos custos de produção. Seguimos de cabeça erguida nesta difícil estrada, que muitas vezes está repleta de pedras que tornam o caminho ainda mais difícil, nos causando tropeços na tentativa e nos desviar do real caminho a seguir. Seguimos na luta companheiros e companheiras, juntos(as) somos cada dia mais fortes!!!! Fraternal Abraço a todas e todos!!!! A direção.

FETAGRO elege nova diretoria para o  quadriênio de 2021 a 2025
08/06/2021

FETAGRO elege nova diretoria para o quadriênio de 2021 a 2025

O 8º Congresso da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado de Rondônia - 8º CONFETAGRO, é a maior instância de deliberação do Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais e ocorreu hoje,08 de junho de 2021, de forma virtual. Nele foi eleita a nova Diretoria Executiva da FETAGRO e Conselho Fiscal para o quadriênio 2022-2023-2024-2025. Com mais de 28 anos de trajetória, a FETAGRO destaca-se enquanto protagonista na defesa das trabalhadoras e dos trabalhadores rurais de Rondônia. Este atual cenário político e econômico no País impõe grandes desafios e isso faz com que a FETAGRO, junto de seus Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais filiados, atualizem suas estratégias de luta e fortaleçam suas ações sindicais na defesa dos direitos conquistados e também busque a ampliação destes. A entidade destaca que não admite medidas e ações que retrocedem e impactam diretamente nas políticas sociais e nos direitos da classe trabalhadora rural. O 8º CONFETAGRO é um momento de renovar a esperança e a vivacidade da luta reafirmando o compromisso com uma nova coordenação e a efetiva participação de sua base através do pleito eleitoral. O processo eleitoral contou com o registro de uma chapa única denominada “Resistência e Luta! Reinventando o Movimento Sindical de Base! Vacina Já!”. O espaço contou com a presença de aproximadamente 100 delegados e delegadas dos 42 Sindicatos filiados à FETAGRO. Nova Diretoria Executiva da FETAGRO: Presidente: Alessandra Lunas Vice-presidente/Sec. Geral: Manoel Carlos Dantas Sec. de Finança e Administração: José Carlos Alves Oliveira Sec. de Mulheres: Rosilei de Souza Bonfim Nillio Sec. de Juventude: Daiane Muniz Souto Sec. de Políticas Agrícolas: Elessandra Machado Dutra Silva Sec. de Políticas Agrárias: Márcio Rogério Viana Sec. de Políticas Sociais: Sirlene Honoria Pinto de Oliveira Sec. de Formação: Ernesto Ferreira dos Santos Sec. de Meio Ambiente: Teófilo Santana da Silva Conselho Fiscal Titular: 1- Izabel Soares Lopes Oliveira 2- Gilson Ferreira de Abreu 3- Marcos Afonso da Costa 4- Débora Silva Sfalcini de Assis Conselho Fiscal Suplente: 1- Rosiléia da Silva Inácio 2- Sueli da Silva Gama 3- Osmar Ferreira da Silva 4- Abel Rodrigues da Silva Fotos do CONFETAGRO:

Após reunião com representantes do Governo e SINDILEITE, FEPERON E FETAGRO pronunciaram-se sobre a...
26/04/2021

Após reunião com representantes do Governo e SINDILEITE, FEPERON E FETAGRO pronunciaram-se sobre a...

Com a alta nos preços dos insumos e a carestia na produção de leite, os agricultores e agricultoras têm enfrentado momentos difíceis para garantir valores justos na venda de seus produtos. Mesmo com os preços de referência, que aindústria pode usar para estabelecer preço igual, maior ou menor, disponibilizados pelo Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite (Conseleite), ainda não se consegue estabelecer um preço que comporte todos os gastos. A Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado de – FETAGRO, filiada a CUT, ressalta que Rondônia está em 1° lugar na produção de leite na região norte do país e diante a grande importância desses produtores para o estado precisamos de políticas públicas efetivas para estabelecer um preço que corresponda aos gastos do produto, fiscalização e multa diante ao não cumprimento dos acordos. A FETAGRO reafirma o compromisso com a defesa dos direitos dos agricultores e agricultoras. “É sabido que queremos entregar um preço justo ao consumidor, por isso precisamos resolver a problemática da discrepância entre o valor do leite pago aos produtores e o valor final do produto”. Diz Alessandra Lunas, Presidente da Federação. Hoje(26), ocorreu a reunião de representantes do Governo e SINDILEITE juntamente com a FAPERON e FETAGRO para dialogar sobre as possibilidades para solucionar essa crise. A proposta realizada pelas Federações foi de: Mês de abril de 2021 - R$1,60 - Pago em maio de 2021 Mês de maio de 2021 - R$1,70 - Pago em junho de 2021 Mês de junho de 2021 - R$ 1,80 - Pago em julho de 2021 Após mais de 5 horas de discussão, a proposta foi rejeitada e como contra proposta os laticínios ofereceram, obedecer o preço de referencia padrão do Conselho Paritário entre Produtores e Indústrias de Laticínios – CONSELEITE + 5 centavos, já no mês de abril o que da aproximadamente, o preço mínimo de R$1,30 para todos os produtores. Sabemos que essa proposta não atende nossas necessidades, e orientamos que as negociações continuem, agora com os produtores e laticínios no qual entregam leite. Diante toda a luta, ocorreram importantes avanços, não haverá baixa de preço e também foi aprovada na Assembleia Legislativa a obrigatoriedade do laticínio comunicar na nota o valor a ser pago no leite do mês posterior. A medida ainda carece ser sancionada pelo Governador. Seguimos em luta pela valorização dos agricultores e agricultoras familiares!

Sindicato de Vilhena se soma a luta dos Produtores de leite do distrito de Novo Plano em Chupinguaia
16/04/2021

Sindicato de Vilhena se soma a luta dos Produtores de leite do distrito de Novo Plano em Chupinguaia

Diante da situação de crise no setor leiteiro que ora assola o estado de Rondônia, a partir da queda de média de R$0,60 centavos por litro pago no mês de março, os produtores em Novo Plano tem se organizado e fortalecido a paralisação do leite, como forma de protesto a necessidade que no momento enfrenta o setor. Em Rondônia a média de produção de leite por dia chega a 1.600.000 litros de leite. Isso demonstra a importância que cumpre esse setor diante da economia no estado e em especial em cada um dos municípios, sendo que neste processo tem um envolvimento preponderante da agricultura familiar. Os protestos chamam atenção para atual situação onde os agricultores gritam por valores de preços do leite que pelo menos possa bancar os custos de produção uma vez que nos últimos meses os preços dos insumos usados na criação dos animais subir vertiginosamente enquanto que ao mesmo tempo cai o preço pago ao produtor. Essa ação busca também dialogar com a sociedade a respeito das dificuldades encontradas, uma vez que a mesma dificuldade passam também diversas famílias que com a pandemia perderam seu poder de compra com a subida dos preços dos alimentos, e o leite é um dos produtos que infelizmente na prateleira do supermercado não baixa nunca. Neste sentido conclamamos a toda a sociedade a se somar a luta dos produtores neste momento a fim de que juntos possamos cobrar do estado ações mais efetivas na política que rege a cadeia do leite, e desta maneira podemos garantir preço justo tanto pra quem produz, para quem industrializa e também para que chegue aos consumidores, pois vemos que neste meio tem alguem ganhando muito. E não são os produtores e nem consumidores. Esperamos que nosso grito possa ser ouvido e que a partir do dia 22 de abril quando forem publicados os preços de referência, possamos ter uma negociação justa e que se chegue a um acordo no estado, e este possa garantir uma melhoria desta situação nestes meses de crise que têm sido recorrentes todos os anos. Estaremos juntos com a FETAGRO fortalecendo esse processo de negociação que ora já vem sendo posto na mesa do governo por meio do grupo de trabalho criado junto a SEAGRI com o objetivo de propor ações mais efetivas para esta situação, e também propondo medidas junto a assembléia legislativa no sentido de criar leis que possam refletir uma maior regulação do setor no estado na busca de estabelecer uma política de preço mínimo e subsídios aos agricultores, pois hoje são concedidos apenas às indústrias por meio de algumas isenções.