Área Restrita
grito 2016
Imagem2
Imagem 1
Imagem3
Imagem 4
APOIO A EDUCAÇÃO DO CAMPO NO BRASIL
28/06/2016

APOIO A EDUCAÇÃO DO CAMPO NO BRASIL

Durante a realização do Encontro Regional de Formação de lideranças em inovações tecnológicas que aconteceu em Palmas, de 21 a 23 de junho, em Tocantins, saíram vários encaminhamentos, um deles, assinado por mais de 80 jovens de 11 estados que estavam presentes foi uma carta de moção em apoio aos cursos de Licenciatura em Educação do Campo e outros cursos voltados para formação do homem e mulher do campo de todo o Brasil dos jovens dos estados de Roraima, Amapá, Pará, Rondônia, Amazonas, Tocantins, Acre, Goiás, Distrito Federal, Mato Groso e Mato Grosso do Sul. Confira na íntegra a CARTA DE MOÇÃO E APOIO A EDUCAÇÃO DO CAMPO NO BRASIL O texto se propõe fazer uma reflexão crítica e reivindicações em apoio aos Cursos de Licenciatura em Educação do Campo e outros cursos voltados para formação do homem e mulher do campo de todo o Brasil dos jovens dos estados de Roraima, Amapá, Pará, Rondônia, Amazonas, Tocantins, Acre, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul presentes no ENCONTRO REGIONAL DO NORTE E CENTRO- OESTE: Inovações Tecnológicas da Juventude realizado em Palmas - TO no período de 20 a 23 de junho de 2016 . Historicamente sabe-se que a educação no Brasil sempre foi privilégio das classes dominantes. As populações das áreas periféricas e essencialmente as do campo sempre estiveram à margem das políticas e dos programas que privilegiassem a educação básica e superior. Há um descaso histórico do poder público que somente nos últimos anos, a partir das lutas de trabalhadores do campo, indígenas, campesinos e seringueiros, o campo ganha outra roupagem: a possibilidade de (re)pensar o significado de campo. Mas, deve-se enfatizar que apesar das lutas, as propostas de escolarização dos sujeitos do campo tem o modelo predominantemente urbano, cujo objetivo foi colonizar o ensino das populações rurais, vistas como atrasadas e sem condições para compreender os avanços desencadeados pelas sociedades urbanas. O Brasil tem a sua história marcada pela economia agrária voltada para o mercado exportador. Mas, a Educação do Campo sequer for mencionada nos textos constitucionais de 1824 e 1891, o que evidencia de um lado o descaso dos dirigentes e do outro as matrizes culturais que tinham vínculos a uma economia agrária apoiada no latifúndio e no trabalho escravo. Sendo que a educação diferenciada para os sujeitos do campo só veio a ser mencionada na constituição de 1988 (BRASIL,2001), considerada a mais aberta para questões sociais e políticas. Assim, com as lutas de movimentos sociais e intelectuais de diversos setores da sociedade, nos fins da década de 90 cresce um movimento para garantir cursos de ensino superior para os filhos de trabalhadores(as) do campo. O processo de luta resulta, a partir do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da Presidenta Dilma Rousseff ambos do Partido dos Trabalhadores –PT, em um conjunto de novos cursos de Licenciaturas e outros cursos criados em Universidades, Institutos Federais pelo Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) financiados pelo Instituto de Colonização e Reforma Agrária- INCRA para atender o homem e mulher do campo, em todo Brasil. Esses novos cursos se propõem a atender e compreender esse sujeito em especificidades sócio-históricas e que formem sujeitos emancipados capazes de trabalhar e lutar pela transformação de uma sociedade mais justa e que respeite a história dos sujeitos do campo e as suas relações entre o homem e a terra, o homem e o trabalho, conforme pensou Paulo Freire. O objetivo desses cursos é formar sujeitos com uma nova visão, que venha a valorizar o campo, desconstruindo, construindo e transformando novos saberes, através do processo formação, levando em consideração novas metodologias de ensino e a realidade dos sujeitos do campo E assim, todos possam fazer as diferenças em suas comunidades, estados e escolas rurais e como salienta Caldart (2002) que diz que é necessário e possível se contrapor a lógica de escola do campo como uma escola pobre, ignorada e marginalizada, numa realidade de milhões de camponeses analfabetos e de crianças e jovens condenados aos círculo vicioso: sair do campo para continuar a estudar, e estudar para sair do campo. Onde reafirma que é preciso estudar para permanecer no Campo Os cursos de Licenciatura em educação do Campo e os outros cursos funcionam em sistema de alternância. Inicia-se nos encontros presenciais no Tempo Universidade (TU) realizado nas instituições de ensino e Tempo Comunidade (TC) quando alunos retornam para suas comunidades. O momento em que os alunos/as concluem as suas atividades didático­pedagógicas que os professores orientam conforme os estudos teóricos realizados em sala de aula. Ressaltamos na atual conjuntura, o descaso que o presidente interino vem tendo com os cursos voltados para formação do homem e mulher do campo, pois nesse curto período de seu governo vem fazendo cortes nas verbas para manutenção dos cursos e alunos beneficiados com a política de Educação do Campo, o que significa um grande retrocesso. Salientamos que é de grande importância que a o Estado Brasileiro não só proporcione aos alunos o acesso, mas também a condição de permanência nos cursos, para isso é necessário estruturar os cursos. Nesse sentido, é que nós jovens presentes neste Encontro fazemos as seguintes reivindicações as autoridades competentes: • Permanência Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi); • Liberação dos recursos enviados pela SECADI para os cursos de Licenciaturas e todos os outros cursos para custear alimentação, transporte e hospedagem; • Auxílios-estudantis aos alunos de todos os cursos em andamento; • Construção de alojamentos, laboratórios de informática e química, e salas de aulas; • Criação de novos cursos nas instituições de nível superior de cursos voltados para formação do homem e mulher do campo; • Criação de novos cursos com turmas interiorizadas com Polos da universidade e institutos Federais nos municípios; E por fim nesse sentido seguiremos lutando pela Democracia e seus instrumentos para a sua plenitude, no entanto exigimos o retorno do Ministério do Desenvolvimento Agrário - MOA e Ministério da Previdência - MPREV, bem corno repudiamos toda e qualquer ação que vise a retirada dos direitos conquistados pelos trabalhadores(as) rurais. Tais Ministérios e políticas foram resultados de lutas e resistência, e são fundamentais na garantia de acesso de políticas públicas do Projeto Alternativo de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário – PADRSS, em especial a Educação do Campo. REFERÊNCIAS BRASIL Lei de Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. 2001 CALDART. Roseli Saleta (Org). Caminhos para transformação da escola: reflexões desde práticas da licenciatura em Educação do campo. São Paulo Expressão Popular, 2011 KOLLING, Edgar Jorge; CERIOLI. Paulo Ricardo; CALDART. Roseli Salete Educação do Campo Identidade e Politicas Públicas 2002. FREIRE, Paulo Freire. Pedagogia da Autonomia São Paulo· Paz e Terra. 1996. TEIXEIRA, Anís10. Pensamento e ação. Rio de Janeiro Civilização Brasileira, 1969. Fonte: Assessoria CONTAG

STTR de Rolim de Moura reúne agricultores (as) em dia festivo
27/06/2016

STTR de Rolim de Moura reúne agricultores (as) em dia festivo

O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadores Rurais de Rolim de Moura realizou no último sábado (25) a Festa do Agricultor(a) e 8º Festival Municipal da Juventude Rural. As atividades oportunizaram um momento de integração e confraternização, em reconhecimento a importância destes agricultores (as) que com muito empenho garantem a subsistência de suas famílias e o fornecimento de alimentos saudáveis nas mesas de todos (as) brasileiros (as). Para a juventude rural, além da integração o momento também foi de reflexão e diálogo acerca da sustentabilidade no campo para os jovens. Realizado na Linha 184, o evento reuniu centenas de agricultores familiares; toda diretoria do Sindicato; diretoria da FETAGRO, representada pelo secretário de jovens Ailton Santos; dirigentes de Sindicatos de outros municípios; diretoria da Central Única dos Trabalhadores (CUT); deputado estadual Lazinho da Fetagro (PT); prefeito Luizão do Trento (PSDB); secretariado municipal e representantes da Emater local. O presidente em exercício do Sindicato, Márcio Viana, enalteceu a presença de todos naquele dia festivo, mas de grande significado para a agricultura familiar de Rolim de Moura, referindo-se às atividades conjuntas que demonstram a organização e a força da categoria. Ailton Santos parabenizou a todos e todas, reforçando que aquele momento é um reconhecimento a cada agricultor e agricultora por sua força, persistência e luta pela permanência no campo com dignidade. Na programação do dia, destaque para a abertura política, almoço e as atividades esportivas e culturais, coordenadas pela juventude. Emendas do deputado Lazinho Na ocasião também foi realizado ato de entrega de maquinário e implementos agrícolas para associações e cooperativa de produtores rurais, adquiridos por meio de recursos de emenda parlamentar do deputado Lazinho da Fetagro. Mais de quinhentas famílias de agricultores familiares, moradoras das Linhas 168, 172, 180 e184 no setor Sul e da Linha 192 Norte, foram beneficiadas com tratores, carretas agrícolas, grades aradoras e subsoladores. Tanques de resfriamento de leite foram destinados a Cooperativa de leite de Rolim de Moura (Cooprolim). Márcio Viana, agradeceu ao deputado Lazinho da Fetagro, reconhecendo o trabalho prestado pelo mandato em defesa da agricultura familiar. “O deputado Lazinho tem sido um fiel representante da nossa categoria, empenhando-se pela valorização da agricultura familiar”, destacou.

Movimentos sociais do campo manifestam insatisfação com proposta de ensino à distância
24/06/2016

Movimentos sociais do campo manifestam insatisfação com proposta de ensino à distância

Audiêcia Pública rea no plenário da Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia, serviu de importante espaço de manifestação de idéias e opiniões sobre a implantação do projeto de Ensino Médio com Mediação Tecnológica (EMMTEC), proposta pelo Governo do Estado em escolas da zona rural e urbana. O momento, proposto e coordenado pelo deputado estadual Lazinho da Fetagro (PT), reuniu o governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Educação (Seduc); classe escolar, especialmente da zona rural, representantes dos movimentos sindicais e sociais do campo, Ministério Público Estadual; Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintero); Central Ùnica dos Trabalhadores (CUT); e outras organizações com atuação em defesa da educação do campo. Representada pelo presidente Fábio Menezes, a FETAGRO externou seu posicionamento contrário ao EMMTEC, que em prática não atende as reais necessidades da classe estudantil rural, apresentando deficiências e incoerências para que se tenha uma educação de qualidade. E repudiou a falta de diálogo por parte da Seduc desde o início, negando ouvir a população e construir junto propostas de melhoria para a educação do campo. Fábio ressaltou que a modalidade implantada é caracterizada como ensino à distância, e esta não contempla as especificidades do campo e poderá trazer danos a agricultura familiar já no presente e no futuro. Apontou que o projeto está baseado em justificativas insustentáveis, a e da argumentação do difícil acesso a .localidades,e falta de professores. E repudiou a falta de interação e o distanciamento entre professor e aluno que este método certamente causa. Defendeu que a tecnologia deve estar em todas as escolas, com todos os alunos, mas esse deve ser um recursos de auxilio no aprendizado. O dirigente reportou à Seduc propostas levantadas pelos movimentos sociais do campo, pais, alunos durantes diversos encontros de debate sobre o tema, como a criação de um programa de qualificação de professores para as áreas com maior necessidade; a constituição de uma Coordenadoria de Educação do Campo na Seduc com tarefa principal de elaborar um programa para educação do campo como norteador das ações pedagógicas. “Temos condições de construir uma proposta de educação do campo que valorize a agricultura familiar, os sujeitos do campo e traga a cidadania e o conhecimento daqueles que produzem e alimentam a todos”, disse o presidente reforçando que a categoria está disponível para construir junto propostas que garantam, de fato, uma educação do campo de qualidade. O deputado Lazinho da Fetagro ao salientar que a audiência pública é uma troca de ideias e de debate democrático, lembrou que a Casa de leis “é a Casa do Povo e, portanto, temos de ouvi-lo”. O deputado reforçou que a oportunidade serviu para “ouvir, propor e fazer com que o modelo do Estado atenda da melhor forma possível nossos alunos”. “Esse espaço servirá para a construção de uma melhor educação para o nosso Estado, levando a consideração de cada setor. Ouvir o contraditório é valorizar a democracia. Quando fazemos isso a sociedade sai beneficiada”, disse garantindo ainda que a Assembleia estará comprometida com as questões e resoluções. Encaminhamentos Após a explanação também da secretária de Educação e de representantes da sociedade, alunos e professores, com posicionamentos favoráveis e contrários à implementação do projeto foram apresentadas propostas de encaminhamentos a serem tomados. Foi pedido que seja criado um projeto para formação de professores em educação do campo; constituída coordenadoria de educação voltada ao campo; valorizar os educandos do curso de licenciamento em educação no campo; participação dos movimentos sociais nas discussões; cumprimento da Lei de Diretrizes e Bases da Educação e a elaboração de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre as partes envolvidas.

CONTAG e FETAGRO promovem Jornada Estadual para Rearticulação do SisAter no Estado
20/06/2016

CONTAG e FETAGRO promovem Jornada Estadual para Rearticulação do SisAter no Estado

Jornada Estadual para a Rearticulação do Sistema de Assistência Técnica e Extensão Rural (SisAter), será realizada em Ji-Paraná, nos dias 23 e 24, sob coordenação da FETAGRO. O SisAter é uma proposta de formação e articulação para expansão e fortalecimento da agricultura familiar, por meio da assistência técnica e extensão rural, capitaneada pela CONTAG para abrangência de todo o MSTTR. “Mobilizar, reanimar e possivelmente ampliar a rede que forma o Sistema é o principal objetivo da jornada, que tem sido realizada em parceria com todas as nossas Federações e com o Senar”, explicou o secretário de Política Agrícola da CONTAG, David Wylkerson. A Jornada Estadual tem participação confirmada do presidente da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), Paulo Guilherme Cabral, do secretário David Wylkerson, do assessor da pasta Ronaldo Ramos, da diretoria e assessoria da FETAGRO, de dirigentes dos STTRs e de representantes de outras organizações que atuam com a temática do evento. Na programação, destaque para debates acerca da conjuntura atual da Ater no Brasil e sobre a experiência exitosa da Rede Cearense de Ater (Receater), implementada pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Ceará. Trabalho em grupo para apontamento de estratégias para possível composição do SisAter em Rondônia também será aplicado no encontro.

Rondônia presente no Encontro Regional de Formação de Jovens
20/06/2016

Rondônia presente no Encontro Regional de Formação de Jovens

Iniciou nesta segunda feira (20), em Palmas/TO, o Encontro Regional de Formação de Jovens Lideranças em inovações tecnológicas, reunindo jovens das Federações dos Regionais Norte e Centro Oeste. Representam a FETAGRO e seus Sindicatos filiados os diretores da Federação Ailton Nunes (secretário de jovens) e Tamara Ezequiel (secretária geral) e os/as secretário/as de jovens de cinco STTRs: Diego Alessandro (STTR de Novo Horizonte do Oeste); Gessica Amorim (STTR de Corumbiara); Angélica Silva (STTR de Nova União); Paulo Lewandowski (STTR de São Miguel do Guaporé) e Fenando Alves (STTR de Alvorada do Oeste). O Encontro tem como objetivos capacitar e trocar experiências sobre inovações tecnológicas desenvolvidas por jovens em nível da organização produtiva da agricultura familiar, das políticas públicas, das políticas sociais e sindicais. O Encontro segue até o dia 23, quinta feira.

Audiência pública vai debater ensino tecnológico em escolas rurais
20/06/2016

Audiência pública vai debater ensino tecnológico em escolas rurais

Para debate e esclarecimentos sobre a implantação do ensino tecnológico dentro do Estado, o deputado Lazinho da Fetagro (PT) apresentou requerimento à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa solicitando a realização de uma audiência pública. O ato acontecerá no próximo dia 23, às 9h, no Plenário da Casa de Leis. O objetivo da audiência, segundo o parlamentar, é trazer para a Assembleia todas as nuances que envolvem a implantação do ensino tecnológico. Lazinho disse acreditar que a discussão contribuirá para a construção de um debate que tenha a função de intermediar o tema entre o Poder Executivo, que defende a implantação, e as famílias, que não concordam...

Anselmo de Jesus assume presidência da Agência Idaron
15/06/2016

Anselmo de Jesus assume presidência da Agência Idaron

O ex-deputado federal e ex-secretário estadual de Agricultura, Anselmo de Jesus, assume a presidência da Agência Idaron nesta quinta-feira, dia 16, com cerimônia de posse marcada para as 8 horas, na sede do órgão, em Porto Velho. Na terça-feira (14), Anselmo de Jesus, acompanhado do deputado Lazinho da Fetagro esteve reunido com o governador Confucio Moura para cumprimentos formais e, em outro momento, reuniu-se com deputados estaduais convidando os parlamentares para a sua posse. O presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho (PMDB), desejou sucesso ao novo gestor da agência e colocou a Casa de Leis à disposição para contribuir com a Idaron, que tem um papel fundamental na economia rondoniense, atuando no controle e vigilância da sanidade do rebanho rondoniense....

Questão agrária deve ser
15/06/2016

Questão agrária deve ser "mais bem debatida", segundo Lazinho da Fetagro

deputado Lazinho da Fetagro (PT) usou a tribuna na tarde desta terça-feira (14) para denunciar a questão agrária e que vários colonos, especialmente da região de Vilhena, estão com prisão decretada por, segundo ele, uma decisão errada da Justiça. O parlamentar relatou processo de disputa de terras no Cone Sul, especialmente da Fazenda Dois Pinguins, em Chupinguaia. Esta terra foi abandonada e em 1985 um grupo de 25 agricultores, depois outras 42 famílias entraram na terra. Somente em 2005 quando as terras da região começaram a valorizar apareceu um suposto dono. Antes disso, explicou, o Incra entrou com pedido da retomada desta área em Brasília para destiná-la à reforma agrária, mas o “suposto dono” ingressou...

Terceira Idade de Rondônia presente na 2ª Plenária Nacional
14/06/2016

Terceira Idade de Rondônia presente na 2ª Plenária Nacional

Trabalhadores e trabalhadoras rurais da terceira idade de Rondônia chegaram à Luiziania/GO, ontem, para a 2ª Plenária Nacional de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais da Terceira Idade e Idosos(as) cheios de expectativas e conhecimento para contribuírem na construção do projeto do MSTTR específico para esse público do campo. A Plenária, realizada de 13 a 16 de junho, reúne cerca de mil idosos e idosas rurais de todos os estados brasileiros com o objetivo de valorizar o protagonismo e a participação política dessas pessoas no movimento sindical, e na construção de direitos para os povos do campo, da floresta e das águas. Os idosos e idosas também participarão de diálogos temáticos sobre Direito...

Homenagens e prosas marcam a abertura da Plenária na praça da terceira idade
13/06/2016

Homenagens e prosas marcam a abertura da Plenária na praça da terceira idade

Entre uma fala e outra, em uma prosa bem dialogada, tem início oficial nossa 2ª Plenária Nacional de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, marcada por muita emoção, com uma mística que valorizou o protagonismo da terceira idade e as histórias dos(as) que contribuíram e que continuam contribuindo com o Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR). Além das canções e do vídeo de apresentação, as obras pintadas pela artista plástica Mila Freitas, com os rostos de Rita Quadros, Zé Maria, Maria Lúcia, Zé Pereira, Margaridas Alves e Manoel Santos, que eram trabalhadores(as) rurais e lideranças sindicais e de base, emocionaram a todos e todas, e foi uma bela homenagem ao legado...

NOTA PÚBLICA DA CUT E FETAGRO: Lamentando as prisões de 16 agricultores por conflito agrário
13/06/2016

NOTA PÚBLICA DA CUT E FETAGRO: Lamentando as prisões de 16 agricultores por conflito agrário

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Rondônia (FETAGRO) vem a público lamentar e denunciar UMA GRANDE INJUSTIÇA que está sendo cometida contra dezesseis trabalhadores e trabalhadoras rurais do Cone Sul, envolvidos em um conflito agrário ocorrido em março de 2012. Para demonstrar a injustiça que está sendo cometida, resgatamos abaixo alguns fatos: 1) a área do conflito, denominado Fazenda Dois Pinguins em Chupinguaia, teve origem em um Contrato de Alienação de Terras Públicas (CATP), sobre o qual não foram cumpridas cláusulas resolutivas. Em 2006 o INCRA ingressou na Justiça Federal com uma ação para retomar essas terras para a União; 2) Durante...

Grito da Terra Estadual confirmado para julho
09/06/2016

Grito da Terra Estadual confirmado para julho

Grito da Terra Estadual foi um dos pontos de maior debate e deliberação neste 2º dia do Conselho Deliberativo da FETAGRO. Os conselheiros e conselheiras reafirmaram a realização da mobilização, respaldando sua importância para a luta da classe trabalhadora rural na agricultura familiar por seu caráter reivindicatório e propositivo de políticas públicas que assegurem desenvolvimento rural com qualidade de vida e trabalho aos homens e mulheres do campo. O Grito da Terra Estadual será realizado nos dias 6 e 7 de julho, na capital Porto Velho, ocasião em que milhares de trabalhadores rurais irão exigir do poder público respostas à pauta de reivindicações apresentada anteriormente. Eleições Entre...

Mil idosos e idosas rurais estarão reunidos em Plenária Nacional na próxima semana
09/06/2016

Mil idosos e idosas rurais estarão reunidos em Plenária Nacional na próxima semana

2ª Plenária Nacional de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais da Terceira Idade e Idosos(as), a ser realizada de 13 a 16 de junho, em Luziânia (GO), reunirá cerca de 1.000 idosos e idosas rurais de todos os estados brasileiros com o objetivo de valorizar o protagonismo e a participação política dessas pessoas no movimento sindical, e na construção de direitos para os povos do campo, da floresta e das águas. A atividade é coordenada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG) e pelas Federações e Sindicatos filiados e tem como tema “Tecendo Histórias e Valorizando Saberes”. A programação conta com oficinas pedagógicas sobre saúde, sexualidade, relações de gênero,...

MSTTR de Rondônia destaca 10 anos da ENFOC e reafirma compromisso com a formação de base
09/06/2016

MSTTR de Rondônia destaca 10 anos da ENFOC e reafirma compromisso com a formação de base

O valor da Escola Nacional de Formação da CONTAG (ENFOC) para o crescimento e fortalecimento do MSTTR, por meio da formação político sindical, foi fortemente reconhecido na tarde da última quarta-feira(08), durante o Conselho Deliberativo da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Rondônia (FETAGRO). Com a condução da secretária de Formação e Organização Sindical da FETAGRO, Rosiléia Inácio, e participação da rede de educadores e educadoras populares do Estado de Rondônia foram realizados momentos que permitiram a reflexão sobre a origem e o propósito da Escola e debates sobre sua importância para que haja formação e transformação de sujeitos...

Presidente analisa conjuntura política durante Conselho Deliberativo
08/06/2016

Presidente analisa conjuntura política durante Conselho Deliberativo

Na abertura política do Conselho Deliberativo da FETAGRO, nesta manhã (08), com análise de conjuntura do presidente Fábio Menezes acerca do momento político e econômico vivido no país. Fábio trouxe à reflexão os impactos, segundo sua percepção, do desrespeito à democracia e inclusão de um governo ilegitimo à Michel Temer; situação que tem afetado, sobretudo, a classe trabalhadora e as populações historicamente marginalizadas, dentre as quais as agricultoras(es) familiares. Apontou que várias conquistas estão sendo extintas, como o Programa Minha Casa Minha Vida, O Ministério do Desenvolvimento Agrário que tratava as questões da agricultura familiar; e outras estão...

Janeiro
Fevereiro
Março
Abril
Maio
Junho
Julho
Agosto
Setembro
Outubro
Novembro
Dezembro